Novas recomendações de várias sociedades destacam o papel da imagem não invasiva na avaliação da doença arterial coronariana

O documento explica a importância da escolha do exame de imagem adequado de acordo com as características do paciente, cenário clínico e expertise de cada centro de imagem.

25 Abr, 2022

Um novo documento multisociedade, "Non-Invasive Imaging in Coronary Syndromes" , enfoca como várias técnicas de imagem podem avaliar diferentes aspectos da doença arterial coronariana (DAC), tudo sem a necessidade de angiografias invasivas no laboratório de cateterismo. O documento também explica a importância da escolha do exame de imagem adequado de acordo com as características do paciente, cenário clínico e expertise de cada centro de imagem. 

Este documento foi desenvolvido pela European Association of Cardiovascular Imaging (EACVI) e pela American Society of Echocardiography (ASE)  em colaboração com a American Society of Nuclear Cardiology (ASNC) ,  Society of Cardiovascular Computed Tomography (SCCT)  e  Society for Cardiovascular Magnetic Resonance (SCMR) . Foi publicado na edição de abril de 2022 do Journal of the American Society of Echocardiography .[1]

A DAC é uma das principais causas de mortalidade e morbidade em todo o mundo. Modalidades de imagem não invasivas desempenham um papel fundamental na avaliação e manejo de pacientes com DAC conhecida ou suspeita. “Em todos os casos, uma compreensão completa da interseção entre os mecanismos por trás de cada modalidade de imagem e a fisiopatologia da doença é fundamental para decidir sobre o teste adequado para um determinado paciente em um determinado momento”, explicou o principal autor da ASE, Federico Asch, MD. , FASE, diretor do laboratório central de ecocardiografia do MedStar Health Research Institute e professor associado de medicina (cardiologia) da Universidade de Georgetown, em um comunicado sobre as novas recomendações. 

Asch disse que este documento é uma atualização do documento original de 2007 porque houve muitos avanços importantes na tecnologia de imagem desde a última atualização. "O campo da imagem cardiovascular evoluiu enormemente nos últimos 15 anos, com cada modalidade de imagem fazendo grande progresso em sua capacidade de detectar e auxiliar no prognóstico de pacientes com síndromes coronarianas agudas e crônicas", disse Asch. “As novas recomendações abordam a importância de evidências crescentes da complexidade da DAC e das múltiplas modalidades e técnicas de imagem não invasivas que ajudam na avaliação dos diferentes aspectos da doença coronariana e seus efeitos na função e estrutura do miocárdio”.

Este documento e todos os documentos das Diretrizes da ASE também estão disponíveis online em ASEcho.org/Guidelines. 

Fonte: https://www.radiologybusiness.com/topics/cardiac-imaging/echocardiography/new-multi-society-recommendations-highlight-role-non

 

Compartilhe


NOTÍCIAS RELACIONADAS