Sírio-Libanês lança unidade em Brasília

Com mais de 30 mil metros quadrados, projeto prevê a criação de 144 leitos, seis salas de cirurgia e um Pronto Atendimento, com inauguração prevista para novembro deste ano.

30 Abr, 2018

O Sírio-Libanês realizou no dia 26 a cerimônia de lançamento de um novo hospital geral em Brasília, com inauguração prevista para novembro de 2018. A nova unidade será a primeira da instituição fora de São Paulo. Para o Diretor Geral da instituição, Paulo Chapchap, “o hospital será uma ampliação do atendimento que já fazemos”, enfatizando que “com o início das operações do novo hospital em Brasília, acreditamos que vamos atender pacientes do Centro-Oeste, mas também estimamos que pessoas do Norte e Nordeste nos privilegiarão, buscando atendimento no Sírio-Libanês nesta Capital.” Estiveram presentes o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, autoridades, diretoras da Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês, diretores e médicos da instituição, além de outros convidados. Durante a cerimônia foi plantado um ipê, que vai compor o ambiente do novo hospital. 

 

O Dr. Gustavo Fernandes, oncologista será o Diretor Geral do novo hospital, e animado com a expansão, declarou: “nosso maior patrimônio é sermos um hospital que oferece o que há de melhor no serviço de saúde. Estamos fazendo muito em pouco tempo. Está tudo acontecendo e fluindo tão rápido, que brinco dizendo que até a nossa pedra fundamental é um prédio inteiro.” O novo hospital está localizado na Asa Sul, na altura da quadra 613, na via L2, próximo aos já existentes Centros de Oncologia e de Diagnóstico do Sírio-Libanês na Capital Federal. Com mais de 30 mil metros quadrados, o local escolhido foi um edifício que já possuía toda a estrutura e fachada construídas para abrigar as futuras instalações, o que viabilizou o projeto com menor custo e mais agilidade.

 

 

Até a fase final da obra, o hospital prevê 144 leitos de internação, sendo 31 de UTI, seis salas de cirurgia e um Pronto Atendimento. Contará também com um centro de diagnósticos para análises clínicas e imagem, com equipamentos de última geração, de altíssima precisão. Os centros cirúrgicos terão aparelhos para cirurgias robóticas e ressonância intra-operatória, tecnologia capaz de determinar, em exames de imagem, a real extensão de um tumor durante a operação, aumentando a possibilidade de retirada completa dessas lesões em um único procedimento cirúrgico.

A história do Hospital Sírio-Libanês com Brasília, que foi a primeira cidade a receber uma unidade da instituição, começou em 2011, com a inauguração do primeiro Centro de Oncologia, localizado na Asa Sul, que hoje realiza mais de 2,7 mil atendimentos/mês. Depois, em 2014, foi inaugurado o segundo Centro de Oncologia, no Lago Sul, que realiza mais de 1,1 mil atendimentos/mês. Dois anos depois, em 2016, foi aberto um Centro de Diagnósticos, também na Asa Sul, que realiza mais de 6 mil exames/mês.

 

Marta Kehdi Schahin, presidente da Sociedade Beneficentes de Senhoras Hospital Sírio-Libanês, que plantou uma muda de ipê onde foi lançada a pedra fundamental do novo hospital, lembrou da história quase centenária da instituição. “Estamos orgulhosos por termos criado uma instituição baseada em valores sólidos de humanismo e fraternidade. À nossa essência calorosa unimos o conhecimento, a tecnologia e a inovação. Estamos próximos de completar 100 anos e a consolidação de nossa presença em Brasília enriquece ainda mais este quase um século de atuação.”

 

“Trabalhamos sob duas vertentes: todo o nosso repasse de filantropia, resultado na nossa isenção fiscal, é feito 100% para o SUS, isso significa atendimento gratuito à população e qualificação dos profissionais de saúde. Mais de 9 mil profissionais já foram qualificados. Outra ação é a gestão de hospitais públicos. Se chamados, não vamos nos furtar o compromisso de assumir unidades de saúde públicas aqui no Centro-Oeste", afirmou Dr. Paulo Chapchap. 

 

Fonte: AI/Hospital Sírio-Libanês

Compartilhe


NOTÍCIAS RELACIONADAS