PI-RADS v2 mostra eficiência na avaliação da próstata

Estudo é destaque do caderno Application da nova edição de Interação Diagnóstica

10 Ago, 2016

 

Em trabalho orientado pelo médico radiologista e professor da PUC-RS dr. Matteo Baldisserotto, e elaborado pela dra. Marcia Oliveira Moraes, para sua tese de mestrado, uma análise aprofundada sobre a segunda versão do PI-RADS (Prostate Imaging Reporting and DataSystem) mostrou as suas contribuições para a padronização da Ressonância Magnética Multiparamétrica (RMmp), permitindo o aumento na detecção precoce e localização do CaP clinicamente significativo, bem como a redução no sobrediagnóstico do CaP indolente. O estudo indica que a RMmp padronizada pelo  PI-RADS v2 é uma excelente ferramenta na avaliação da próstata, reduzindo o numero de falsos negativos e auxiliando na decisão da conduta terapêutica. 

A análise da dra. Marcia Oliveira Moraes, que você vai conferir no caderno Application da nova edição do jornal Interação Diagnóstica, mostra com detalhes os avanços da segunda versão do PI-RADS em comparação com a primeira versão, a fim de padronizar os protocolos de ressonância magnética da próstata, bem como os laudos e termos utilizados para a sua descrição.

A especialista apresentou os objetivos do PI-RADS v2 na padronização dos parâmetros técnicos minimamente aceitáveis para a RMmp, da terminologia e conteúdo dos laudos da RMmp, das categorias de avaliaçāo com níveis de suspeição ou risco de câncer de próstata clinicamente significativo, além de detalhar as recomendações na aplicação clínica.

Para ler o trabalho completo no caderno Application, cadastre-se aqui e tenha acesso à versão digital do jornal Interação Diagnóstica.

Baixe nosso aplicativo, para iOS ou Android, e leia a edição na íntegra aqui

Compartilhe


NOTÍCIAS RELACIONADAS