AstraZeneca, CNPq e Einstein: parceria para o desenvolvimento científico no Brasil

A parceria faz parte do programa iDream Hubs, projeto internacional da AstraZeneca para criação de centros de excelência em colaboração com instituições externas com foco em pesquisa e desenvolvimento, educação e tecnologia.

17 Jul, 2018

As instituições AstraZeneca, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, firmaram um compromisso de colaboração para a implementação de dois projetos que promovem a inovação e desenvolvimento científico no Brasil.

A parceria faz parte do programa iDream Hubs, projeto internacional da AstraZeneca para criação de centros de excelência em colaboração com instituições externas com foco em pesquisa e desenvolvimento, educação e tecnologia. “Em esfera global, o projeto visa parcerias com startups, grupos de pesquisa e colaboração com empresas, universidades e outros grupos para identificar e desenvolver produtos e soluções específicas para cada região”, explica Fraser Hall, presidente da AstraZeneca Brasil. 

Com o CNPq o objetivo é o desenvolvimento de um programa que oferecerá dez bolsas para cientistas brasileiros, que poderão trabalhar e desenvolver projetos em centros de Pesquisa e Desenvolvimento da AstraZeneca nos EUA e Reino Unido por um período de dois anos. 

Para o Presidente do CNPq, Mario Neto Borges, a parceria com a AstraZeneca é emblemática por associar a maior agência de fomento à pesquisa pública do Brasil com uma indústria farmacêutica internacional de ponta do Reino Unido. “Essa parceria ganha um colorido especial ao ser celebrada no Ano da CT&I entre os dois países. Os pesquisadores brasileiros terão oportunidade de se aperfeiçoar no mais moderno e avançado laboratório farmacêutico recém construído na Inglaterra”, ressalta.

A parceria com o Einstein visa estabelecer centros científicos para colaboração em pesquisa e desenvolvimento (P&D) de medicamentos, educação e tecnologia, como foco para mercados internacionais. Na área de P&D, as atividades incluem um programa específico focado em doenças cardiovasculares, renais e metabólicas.

De acordo com Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, “é uma satisfação liderar a iniciativa na América Latina, não só pela inovação que a parceria científica com a AstraZeneca representa, mas também pela importância do desenvolvimento de projetos para o combate a doenças tão prevalentes em nosso meio”, afirma. 

Além das parcerias de colaboração bilateral no campo científico, o Ano Brasil-Reino Unido de Ciência e Inovação 2018/2019 prevê uma variedade de eventos nos dois países, com destaque para workshops científicos, seminários de inovação e palestras que serão realizadas no Brasil com cientistas britânicos de alto nível. “Estamos entusiasmados com as possibilidades de parcerias entre Brasil e Reino Unido. A assinatura destes acordos, dentro da programação do Ano, demonstra que há espaço para impulsionar o intercâmbio entre empresas e centros de pesquisa, com a finalidade de capacitar, incrementar os currículos e estimular os pesquisadores para pensar em soluções para os desafios futuros nos campos da ciência e da inovação”, comenta o Embaixador britânico no Brasil, Vijay Rangarajan.

Segundo o presidente da AstraZeneca Brasil, Fraser Hall, os projetos atendem necessidades cruciais para o fomento da ciência no Brasil. “Na AstraZeneca, temos um forte compromisso em expandir as fronteiras da ciência. E as parcerias estratégicas com duas grandes instituições da esfera pública e privada possibilitarão aos cientistas desenvolverem todo o seu potencial em campos de pesquisa no Brasil e no exterior”.

Sobre o Ano Brasil-Reino Unido de Ciência e Inovação

O Ano Brasil-Reino Unido de Ciência e Inovação 2018-2019 é uma iniciativa conjunta liderada pelos governos do Brasil e do Reino Unido. O Ano foi primeiramente acordado entre o Secretário de Estado do Reino Unido para os Assuntos Externos, Boris Johnson, e o Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes, em agosto de 2017 em Londres. O Ano Brasil-Reino Unido de Ciência e Inovação foi anunciado em 27 de fevereiro de 2018 no Museu do Amanhã no Rio de Janeiro, durante a visita do Navio Real Britânico de Pesquisa James Cook. Um mês depois, em 27 de março de 2018, em Brasília, o Ano Brasil-Reino Unido de Ciência e Inovação foi oficialmente lançado, em cerimônia no Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC). O Ano Brasil-Reino Unido de Ciência e Inovação é uma plataforma que promoverá oportunidades para que cientistas, empreendedores e empresas britânicas e brasileiras celebrem o que a pesquisa conjunta já alcançou, e pensem em como trabalhar juntos frente aos futuros desafios globais.

Fonte: AI/Astrazeneca

 

Compartilhe


NOTÍCIAS RELACIONADAS